Powered by Jasper Roberts - Blog

Declaração do Syriza: “As pessoas estão acima da dívida”

Reunião do Comité Central do Syriza - Maio 2015. Foto left.gr

Na declaração proposta à reunião deste fim de semana, a direção do Syriza mantém a posição de não assinar um acordo que signifique o regresso dos memorandos ao país.

“Quem acredita que pode humilhar a Grécia, está a brincar com o fogo”, avisam os dirigentes do Syriza quando as negociações entram na fase final em Bruxelas.

“Se a prolongada asfixia de crédito nos levar ao ponto de rotura, que ninguém duvide que o pagamento de salários e pensões tem prioridade absoluta sobre as tranches do reembolso da dívida”, sublinha a declaração.  “As pessoas estão acima da dívida”, conclui o documento.

A direção do Syriza decidiu ainda avançar com os projetos de lei para a reforma das leis laborais que têm vindo a ser discutidos com a Organização Internacional do Trabalho, que tem apoiado a iniciativa de tornar a legislação grega num exemplo de respeito pelas boas práticas internacionais no que toca à legislação do Trabalho.

Plataforma de Esquerda propõe rotura das negociações

Um dos documentos submetidos à votação no Comité Central do Syriza foi proposto pela Plataforma de Esquerda, liderada pelo ministro Panagiotis Lafazanis. “Qualquer solução alternativa para um rumo antimemorando, a começar pela interrupção dos reembolsos da dívida, por mais difícil que seja, é de longe preferível para o país, dado que oferece esperança e perspetivas de futuro para o povo”, diz a proposta, que foi votada no final da reunião e acabou chumbada por 95 votos contra 75.

A “ala esquerda” do Syriza recomenda que sejam postos em destaque os pontos de um programa alternativo e fiel às promessas da campanha eleitoral: nacionalização da banca, transparência dos media, ataque à corrupção, taxação das grandes fortunas e reposição dos direitos laborais.

Na sua intervenção, Lafazanis acusou os responsáveis europeus de estarem apostados em chantagear a Grécia e exterminar o governo eleito em janeiro, uma realidade “escondida atrás dos sorrisos” para a fotografia.

Comentários

comentários