Powered by Jasper Roberts - Blog

Milhares já pediram ao Parlamento Europeu que investigue o seu presidente

Martin Schulz. Foto União Europeia ©

Mais de 20 mil pessoas já assinaram a petição online lançada hoje para que o Parlamento Europeu averigue se é legal e ético aquilo que Martin Schulz fez na semana passada: “mentir descaradamente e ameaçar o povo grego para os convencer a votar ’Sim’ no referendo”, diz o texto da petição.

A petição na plataforma Avaaz contava na noite de terça feira com quase 23 mil assinaturas de cidadãos europeus que consideram “inaceitável o comportamento do Presidente do Parlamento Europeu”.
European Parliament: Investigate EP President Schulz

Martin Schulz teve uma presença destacada nos últimos dias da campanha do referendo, com declarações a falar de cenários catastróficos em caso de vitória do ‘Não’. No próprio dia do referendo foi divulgada uma entrevista sua a garantir que a Grécia saía do euro se  o ‘OXI’ fosse vencedor.

O GUE/NGL, grupo parlamentar europeu que inclui os gregos do Syriza e os portugueses do Bloco de Esquerda e PCP, reagiu ainda na semana passada pelas vozes da alemã Gabi Zimmer, líder GUE/NGL, e Dimitrios Papadimoulis, o seu vice-presidente.

“Martin Schulz está a interferir de forma inaceitável e unilateral no referendo grego”, denunciaram os eurodeputados, acusando Schulz de estar a abusar do cargo de presidente do PE. No comunicado, desmontam algumas das mentiras da campanha do ex-candidato dos socialistas europeus à presidência da Comissão Europeia. Há algumas semanas, o veterano Manolis Glezos já tinha advertido Schulz, em pleno plenário, para que “deixe a Grécia em paz“.

Comentários

comentários