Powered by Jasper Roberts - Blog

Sindicato abre processos a jornalistas por desinformação na campanha

Foto Stefanus Ming/Flickr

A avalanche de queixas recebidas pelo Sindicato, sobretudo por parte de cidadãos escandalizados pela parcialidade e as mentiras nos noticiários televisivos durante a semana de campanha do referendo de domingo, levou já a nove processos. Alguns canais já retiraram da internet vários vídeos que estão agora sob investigação.

Em reação às queixas recebidas, o Sindicato dos Jornalistas de Atenas, que engloba os profissionais dos órgãos de comunicação social com sede na capital, anunciou hoje a abertura de nove processos disciplinares a associados. Entre eles estão jornalistas dos canais MegaTV, ANT1e SKAI. O sindicato prossegue as investigações com a ajuda de vídeos enviados pelos autores das queixas e denuncia que já no decorrer do seu trabalho houve estações de tv a retirarem alguns dos vídeos mais criticados das repetivas páginas da internet.

Na semana passada, o organismo do sindicato que fiscaliza a conduta profissional dos associados emitiu um comunicado a alertar para situações de “comportamento delinquente, que substitui a função jornalística pela propaganda aberta”, e alertando para a responsabilidade dos jornalistas e o respeito pelos diferentes pontos de vista.

Gregos são os que mais desconfiam dos media, diz Eurobarómetro

O Eurobarómetro de 2014 indicava que apenas 21% dos gregos confiavam no que viam na televisão (em Portugal eram 63%). A desconfiança dos gregos em relação aos media não é exclusiva da televisão, e já em 2012 era a internet o meio usado por 46% dos inquiridos (em Portugal por 39%) para obter informação de confiança.

Mas nos últimos meses, e em particular na última semana de grande tensão política, muitos limites foram ultrapassados na cobertura jornalística das televisões gregas. De imagens manipuladas à tentativa de criação de um ambiente de pânico com o encerramento dos bancos, os grandes media – propriedade de oligarcas com ligações ao sistema político-financeiro, construção civil e marinha mercante – não pouparam esforços na campanha pelo ‘Sim’, com as suas reportagens e programas de “comentário político”.

Comentários

comentários