Powered by Jasper Roberts - Blog

Aeroportos: Governo ameaça renegociar todo o contrato de concessão

Aeroporto de Corfu. Foto Mathew Bedworth/Flickr

A conclusão do processo da concessão dos aeroportos regionais gregos foi uma das exigências do terceiro memorando. Mas o consórcio vencedor pretende agora mudar as condições. O governo já avisou os alemães que isso só será possível renegociando o contrato por inteiro.


O concurso para a concessão de 14 aeroportos regionais foi concluído pelo anterior governo da Nova Democracia e Pasok, com a entrega por 40 anos a um consórcio formado pelo grupo grego Copelouzos, ligado ao setor energético, e os alemães da Fraport, por 1200 mil milhões de euros.

A luz verde final para a concessão fez sempre parte da lista de concessões do atual governo durante os seis meses de negociações com os credores e foi dada esta semana com a publicação oficial da aprovação da entrega dos aeroportos de Salónica, Corfu, Rodes, Santorini, Kos, Chania, Kefalonia, Zakynthos, Aktion, Kavala, Samos, Mitilene, Mykonos e Skiathos..

“Querem alterar condições? Então renegociamos o contrato por inteiro”

Esta quarta-feira, os alemães da Fraport anunciaram que iam pedir mais garantias ao governo antes de assumirem o controlo dos 14 aeroportos. O acordo de 2014 entre o consórcio e a agência de privatizações grega prevê um investimento de 1400 milhões de euros nas infraestruturas, dos quais 330 milhões a serem injetados pelos novos donos nos primeiros quatro anos do contrato. Os alemães alegam que os custos de financiamento subiram a par do risco grego, pelo que querem renegociar algumas das condições do contrato agra aprovado.

O governo grego respondeu de imediato, dizendo que “se e quando o consórcio levantar a questão de renegociar o contrato, essa renegociação não se vai limitar às questões que invocarem, mas à generalidade do contrato”. Atenas diz que a conclusão do processo de concessão, mantendo as condições negociadas pelo anterior governo, foi uma exigência do acordo de Bruxelas de 12 de julho e que o governo cumpriu integralmente.

Em junho, a intenção do governo era a de avançar com as privatizações já decididas nos anos anteriores, renegociando as suas contrapartidas. Nas próximas semanas deverá ser aberto o concurso público para a concessão da gestão dos portos de Pireus e Salónica e da rede de gás. Outras empresas na lista de privatizações são a empresa de serviços ferroviários Trainose e a de manutenção ferroviária Rosco.

Comentários

comentários