Powered by Jasper Roberts - Blog

O apelo para juntar a esquerda antimemorando

Pavilhão cheio em Atenas para a festa da revista Iskra, no fim de julho de 2015. Foto Iskra.gr

O infoGrécia traduziu o texto completo do apelo subscrito pelo ex-ministro Lafazanis e outros onze dirigentes políticos da esquerda grega. A criação de um novo movimento político, que pode surgir antes das eleições, pretende juntar setores que hoje estão no Syriza, KKE e a esquerda extraparlamentar do Antarsya.


Não ao novo memorando! Apelo à luta e à mobilização por todo o país

Os abaixo-assinados, representando um vasto leque de forças e organizações da esquerda, rejeitam o terceiro memorando apresentado hoje ao Parlamento e apelam a grandes lutas unitárias para anular todos os memorandos e impor uma nova orientação progressista para o país.

A assinatura de um novo memorando por um governo que foi eleito para abolir os dois anteriores equivale a uma catástrofe de grandes proporções para o povo grego e a democracia. O novo memorando significa ainda mais austeridade, a restrição dos direitos dos cidadãos e a perpetuação do regime de tutela imposto ao país. O novo memorando é uma total inversão do mandato do povo grego que no referendo de 5 de julho rejeitou na íntegra as políticas de austeridade e de dependência neocolonial.

Ao longo dos últimos cinco anos, o povo opôs-se por todos os meios possíveis ao medo e à chantagem e lutou por uma Grécia soberana, democrática, reconstruída, justa e independente.

Tal como aconteceu aos anteriores, este memorando deve ter pela frente a mais ampla resistência de uma sociedade unida e determinada. Continuaremos o caminho do 5 de julho até ao fim, até ao derrube da política dos memorandos, com uma solução de mudança para o futuro, pela democracia e a justiça social na Grécia.

A luta contra o novo memorando começa agora, com a mobilização do povo em todo o país. Para desenvolver e ganhar este combate, é preciso colocar no terreno uma organização popular a todos os níveis e em todos os domínios sociais.

Apelamos à constituição de um vasto movimento político e social no conjunto do país e à criação de comités de luta contra o novo memorando, contra a austeridade e contra a colocação do país sob tutela. Será um movimento unitário à altura das aspirações do povo à democracia e à justiça social.

A luta que conduziu à vitória do “OXI” a 5 de julho continua e vai vencer!

13 Agosto 2015

Subscritores:

Panagiotis Lafazanis, Plataforma de Esquerda do Syriza – Corrente de Esquerda;
Alekos Vernardakis, Renovação Comunista; Nikos Galanis, Intervenção de Esquerda;
Dimitris Kavouras, Organização de Reconstrução Comunista (grupo de antigos militantes do KKE);
Dimitris Kaltsonis, Associação Yannis Kordatos (grupo de antigos militantes do KKE. Kaltsonis representou o KKE na Festa do Avante em 2007);
Panagiotis Mantas, DIKKI – Esquerda Socialista (grupo de antigos militantes do PASOK que estão no Syriza);
Antonis Ntavanelos, Plataforma de Esquerda do Syriza – Esquerda Operária Internationalista (DEA);
Andreas Pagiatsos, Xekinima (secção grega do Comité para uma Internacional dos Trabalhadores (CIT/CWI);
Spyros Sakellaropoulos, ARAN – Recomposição de Esquerda (fundadora do Antarsya);
Dimitris Sarafianos, ARAS – Grupo Anticapitalista de Esquerda (fundador do Antarsya);
Maria Souani, Luta Operária (rede de militantes, a maioria integra o KKE);
Themis Tzimas (ex-membro do Conselho Nacional do PASOK);
Lambros Heetas, Iniciativa dos 1000.

Comentários

comentários