Powered by Jasper Roberts - Blog

Negociações não travam bloqueios dos agricultores

Manifestação de agricultores em Atenas. Foto a1pha_gr/Flickr

Os dirigentes da maior parte dos bloqueios de estradas na Grécia nas últimas semanas estiveram reunidos mais de quatro horas com Alexis Tsipras. Mas as 25 propostas do governo para atenuar o efeito das mudanças nos impostos e Segurança Social não foram suficientes para interromper a luta.


O braço de ferro entre os agricultores e o governo grego ainda não tem fim à vista. Após a reunião de segunda-feira a convite de Alexis Tsipras, alguns grupos responsáveis pelos bloqueios de estradas decidiram prosseguir a luta esta terça-feira, mantendo os bloqueios de estradas previstos nalgumas regiões do país.

Os agricultores queixam-se que o fim de algumas bonificações fiscais e do regime favorável de Segurança Social irão levar muitos à falência, enquanto o governo insiste que o atual regime tem servido para a evasão fiscal de muitas pessoas registadas como agricultores mas que não têm actividade no sector. O protesto agrícola bloqueou estradas, encerrou a fronteira com a Bulgária e acampou no fim de semana em frente ao parlamento grego.

Governo avança com 25 propostas para ir ao encontro das reivindicações dos agricultores

Na reunião de segunda-feira, Tsipras apresentou 25 propostas na esperança de convencer os dirigentes do protesto agrícola a abandonarem os bloqueios de estradas. Mas alguns representantes de bloqueios recusaram-se a comparecer, exigindo a retirada prévia da proposta governamental. Entre as novas propostas do governo está um período de transição de cinco anos e aumentos graduais das contribuições para a Segurança Social até 2021, a opção de descontarem 16% em vez de 20% em troca de uma pensão futura menor ou a possibilidade de fazerem pagamento em senhas aos trabalhadores, podendo estas ser declaradas como despesas para efeitos fiscais.

No capítulo dos impostos, Tsipras acenou com reduções nas taxas e um aumento do patamar de rendimentos para efeito de isenção. O governo quer criar também um Registo Agrícola onde se podem inscrever apenas os que exercem a atividade agrícola como ocupação principal e que garante o pagamento da pensão, bem como um plano de 36 prestações para os pagamentos em falta à companhia de electricidade.

Outras ajudas prometidas pelo governo dizem respeito à aquisição de painéis fotovoltaicos para reduzir custos de produção e um mecanismo rápido de compensações aos agricultores prejudicados pela imposição do embargo à Rússia.

No pacote proposto aos agricultores, o governo quer ainda dar subsídios aos menores de 40 anos no valor máximo de 22 mil euros, acelerar a devolução do IVA, criar um cartão do agricultor para receberem mais rapidamente as ajudas comunitárias e tornar obrigatório o livro de despesas, bem como dar incentivos à criação de confederações agrícolas e criar uma agência para o desenvolvimento rural das terras públicas, entre outras medidas para apoio técnico da atividade agrícola.

Comentários

comentários