Powered by Jasper Roberts - Blog

Obama despede-se com apoio à restruturação da dívida da Grécia

Obama e Tsipras em Atenas

Na última viagem do seu mandato, Barack Obama está na Grécia e deu o seu apoio ao alívio da dívida grega. Nas ruas de Atenas, sete mil pessoas manifestaram-se contra o imperialismo norte-americano.


A primeira visita de Obama à Grécia acontece na reta final do seu mandato, numa viagem oficial que passará ainda por Berlim e por Lima. No seu discurso ao lado do primeiro-ministro Alexis Tsipras, o presidente norte-americano agradeceu o esforço do povo grego no acolhimento humanitário dos refugiados.

Para além do tema dos refugiados e da questão cipriota, Atenas quis colocar a dívida na agenda do encontro e Obama referiu-se a ela ao dizer que o alívio da dívida irá ajudar o povo grego e que a austeridade por si só não traz prosperidade. “Enquanto a Grécia prossegue as suas reformas, o FMI disse que o alívio da dívida é fundamental e eu vou continuar a apelar aos credores para darem os passos necessários para uma recuperação económica duradoura, porque é do interesse de todos que a Grécia seja bem sucedida”. Esta quarta-feira, num novo discurso público, Obama insistiu no tema, apoiando as reformas do governo e defendendo que “a juventude grega tem direito a um futuro”. “Quando a economia não funciona, a democracia fica distorcida e pode quebrar”, acrescentou.

As palavras de Obama caíram bem junto do governo grego, embora qualquer compromisso da Casa Branca sobre estas e outras matérias tenha agora de passar pelo presidente eleito Donald Trump.

Protestos contra o imperialismo marcam visita de Obama

Cerca de 7 mil pessoas manifestaram-se esta terça-feira no centro de Atenas contra a visita de Obama e a política externa norte-americana.

O protesto ficou marcado por confrontos com a polícia, quando os manifestantes tentaram furar o cordão policial para seguirem em direção à embaixada dos EUA.

A visita de Obama à Acrópole também foi antecedida de um protesto simbólico com uma mensagem clara para os últimos meses do seu mandato à frente da Casa Branca.

Comentários

comentários